Daniel – Capítulo 9, Versículos 24 a 27

Daniel 9:24

Esse trecho é muito utilizado pelo cristianismo para querer enxergar Jesus no Tanach, ocorre que existe a conceituação errada de que toda a Bíblia fala de Jesus, o que os cristãos chamam de Prefiguração.

Todas as vertentes do cristianismo acreditam na prefiguração, como se todo o Tanach falasse do Mashiach o que não é verdade.

A principal preocupação da Torá é dizer à humanidade o que é o certo e o que é o errado, nesse caso específico é colocar um homem no lugar de D-us, o que é idolatria.

“Adorar a qualquer outro que não seja o criador é idolatria, mesmo Michael, o chefe de todos os anjos, não pode ser adorado, mesmo o Mashiach não pode ser adorado, apenas Ele deve ser adorado e não outro”. – (Daniel 9:24).

Esse versículo se refere a uma visão concedida a Daniel, transmitida pelo anjo Gabriel, e marca o início de uma profecia sobre o retorno do povo de Israel à nossa terra. Vejamos como os cristãos traduzem o versículo.

Daniel 9:24 “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo.”

Olhando nessa tradução fica muito claro que parece se referir ao pecado do povo de Israel, uma constante no cristianismo, sempre nos acusando de pecadores, e se refere também a ungir o Santíssimo, no caso, no pensamento cristão, seria o MITO chamado Jesus.

Bom, agora vamos ver o que realmente está escrito lá no versículo.

כד שָבֻ עִׂ ים שִׂבְ עִׂ ים נֶחְ תךְ עַֹֽל־עַמְ ךָ ׀ וְעַל־ ע יר קָדְ שךָ לְכַ לֵ א הַ פֶ שַע וּלְכַ פר עָ וֹ ן וּלְהָ ב יא
צ דֶק עֹֽ לָ מ ים וְלַחְת ם חָ ז וֹן וְנָ בִׂ יא וְלִׂמְ ש חַ ק דֶש קָֹֽדָשִֹֽׂים׃
“70 Shavuim, será privado o teu povo, e sobre a tua Cidade Santa, para completar a paga do Crime (pecado feito intencionalmente) e perdoar o deslize (pecado feito sem intenção) e trazer justiça perene, e selar o visionário e o profeta, e ungir a Santidade das Santidades”.

• Em primeiro lugar não tem semana nenhuma no versículo, a palavra usada é um Shavui, o plural de Shavui é Shavuim, exatamente como está escrito no versículo, se fosse semanas, que em hebraico é Shavua, estaria escrito Shavuot.
• Em segundo lugar o que está sendo expiado são tanto os pecados feitos intencionalmente como os pecados feitos por ignorância, sem intenção. Ou seja, no fim desses períodos tais pecados estarão perdoados.
• Em terceiro lugar o que está sendo selado não é uma visão ou uma profecia, mas os visionários e os profetas, ou seja, não haverão mais visionários e profetas até a conclusão da profecia.
• Em quarto lugar, o que está sendo ungido é o cubículo da Santidade das Santidades e não uma pessoa, ou seja, se refere à consagração do segundo templo.

Vejamos o que dizem os comentaristas judeus a respeito desse versículo.

Rashi fala que o versículo prevê o retorno do povo de Israel à sua terra por 490 anos, e depois um período indeterminado de tempo para que haja justiça perene, e no final voltarão os artigos do templo, a Arca da Aliança, os Altares e as Louças Consagradas para o templo, que só serão recuperados pelo verdadeiro Mashiach.

A primeira parte da profecia já se realizou e a segunda parte está ocorrendo atualmente. Alguém tem visto os artigos do templo por aí?

Metsudat David nos explica a origem do decreto, 70 anos de Shemitá que totalizam 490 anos, 70 entre a destruição do templo e a reconstrução do mesmo e 420 até a destruição do segundo templo.

Acrescenta que quem trará a justiça perene é o Mashiach, o verdadeiro.

Alguém tem visto um mundo justo por aí?

Ele nos esclarece também um dos motivos de não haverem mais profetas, é que todas as profecias de todos os profetas precisam se cumprir primeiro. E que a Santidade das Santidades será um lugar que gozará de grande respeito.

Daniel 9:25

Vejamos como os cristãos traduzem o versículo. Daniel 9:25 “Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos.” Olhando nessa tradução a coisa parece evidente, né?

Fala do Messias, o príncipe, fala de semanas, etc. Bom, agora vamos ver o que realmente está escrito lá no versículo.

כה וְתֵ דַ ע וְתַשְ כל מִׂן־מ צ א דָ בָ ר לְהָשִׂי ב וְלִׂבְ נ וֹת יְרֹֽוּשָ ל ם עַד־מָ ש יחַ נָ גִׂ יד שָבֻ ע ים שִׂבְ ע ה
וְשָבֻ עים שִׂ ש ים וּשְ נ יִׂם תָשוּ ב וְנִׂבְנְתָ ה רְ ח וֹב וְחָ ר וּץ וּבְ צ וֹק הָעִׂתִֹֽׂים׃
“E saiba, e pense, desde quando saiu a palavra, para voltar e construir Jerusalém, até o Mashiach Naguid, 7 Shavuim, e 62 Shavuim, voltará e será construída a rua e o arrimo e em uma época problemática.”

• Em primeiro lugar não existe a palavra ordem no texto, ninguém ordenou nada, o versículo fala de um evento e não de uma ordem para se fazer nada.
• Em segundo lugar, na versão cristã não está mencionado o retorno do povo à Jerusalém, com o objetivo de direcionar o início do cálculo do evento para outra data. Que data seria esta? Bom, perguntem isso dos missionários cristãos.
• Em terceiro lugar a expressão presente, Mashiach Naguid, erroneamente, de modo intencional, traduzido como Messias Príncipe, parece se tratar do Messias, aquele ao qual aguardamos. Mas no entanto, Mashiach Naguid, é literalmente um UNGIDO ENCARREGADO, um governante secundário, um governador, alguém que governa submisso a outra pessoa mais importante do que ele.
• Em quarto lugar, não existe muro nenhum citado no versículo, muro é Kotel, a palavra usada é Harutz, arrimo. A tradução como muro parece intencionalmente se adequar a algum conceito cristão, desconhecido para mim.

Vejamos o que os comentaristas judeus têm a falar a respeito.

Rashi explica que o motivo da Diáspora são os anos de Shemitá, não obedecidos pelo povo, e explica que foi esclarecido à Daniel o recálculo dos anos e o início da época da atribulação. O Mashiach Naguid citado é Ciro II que é chamado de ungido em Isaías 45:1. O Metsudat David faz exatamente o mesmo comentário de Rashi com contas matemáticas para provar o que foi dito antes.

Daniel 9:26

Vejamos como os cristãos traduzem o versículo.

Daniel 9: 26 E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações.

Olhando a partir dessa tradução as coisas parecem o seguinte:
• Depois das 62 “semanas” o Messias será cortado, mas não para si mesmo, parece uma clara alusão de que o Messias seria morto, e que sofreria por outros, e com isso se enxerga Jesus na parada.
• E depois disso seria destruído o templo, viria a guerra com Roma, e a diáspora. Vejamos o que realmente está no versículo.

כו וְאַחֲ ר י הַשָבֻעִׂי ם שִׂ ש ים וּשְ נ יִׂם יִׂכָ ר ת מָ ש יחַ וְ א ין ל וֹ וְהָ עִׂ יר וְהַ ק דֶש יַשְחִׂית עם נָ ג יד
הַבָ א וְקִׂ צ וֹ בַ שטֶף וְעַ ד ק ץ מִׂלְחָ מה נֶחֱ ר צֶת ש מֵמֹֽוֹת׃
“E depois dos 62 Shavuim, será cortado (um) Mashiach, e não terá mais ele, e a cidade e a santidade serão destruídas, um povo governante estrangeiro virá, como hordas de uma inundação, e até o fim guerra, estão determinadas destruições.”

• O versículo não cita semanas e sim Shavuim, que são períodos de shemitá (7 anos)
• O versículo fala de um Mashiach qualquer e não do Mashiach que esperamos.
• O versículo não fala que ele sofrerá por outros, e sim que não haveria mais governantes.
• O versículo fala que a cidade e o templo serão destruídos na mesma época em que for removido o governante.
• O versículo fala de um povo estrangeiro vindo como uma inundação e não que haveria uma inundação.
• O versículo fala que após a destruição da cidade estão decretadas destruições.

Só aí já se vê que existe uma enorme diferença de entendimento desse versículo para judeus e para cristãos, uma vez que a tradução deles nada tem a ver com o que realmente está escrito no versículo.

Vejamos o que os comentaristas judeus têm a dizer do versículo. Rashi nos explica que:
• O Mashiach citado em Daniel 9:26 não é o Mashiach Naguid citado em Daniel 9:25, o Mashiach Naguid é Ciro II e o Mashiach de Daniel 9:26 é Herodes Agripa II, que governava durante a destruição do templo.
• O título Mashiach nem sempre se refere ao nosso governante que esperamos, nesse caso se refere a um governador estrangeiro.
• A predição do povo estrangeiro vindo como hordas de inundação se refere às legiões romanas.
• Até a guerra contra o rei Gog haverá sofrimento e destruição.

Metsudat David repete o comentário com contas matemáticas para provar.

Daniel 9:27

Vejamos como os cristãos traduzem o versículo.

“E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador.”

Nisso fica vago o entendimento do cristianismo, há diversas interpretações desse versículo, desde o retorno de Jesus até a vinda do anticristo deles, dependendo da igreja a interpretação varia.

Uma coisa é comum a toda a cristandade, eles falam no fim dos sacrifícios, como se não haveria mais os sacrifícios.

Vejamos o que realmente está escrito no versículo.

כז וְהִׂגְ ִׂ ב יר בְ ִׂ ר ית לָרַ בים שָ ב וּעַ אֶ ח ד וַחֲ צִׂ י הַשָ ב וּעַ יַשְ ב ית ׀ ז בַח וּמִׂנְ חָ ה וְ עַ ל כְ נ ף
שִׂקוּצִׂי ם מְש מם וְעַד־כָלָ ה וְ נחֱרָ צָ ה תִׂ ת ךְ עַל־ש מֵֹֽם׃
“E ele erguerá uma aliança com muitos, por uma semana, e no meio da semana, será INTERROMPIDO o Zevah e a Minhá, e sobre as asas das abominações ele destrói, e até o fim do decreto, será dada a destruição.”

• O versículo fala de alguém que fará uma aliança com muitos.
• O versículo fala que no meio da semana será INTERROMPIDO o Zevah (sacrifícios comuns) e a Minhá (sacrifício da tarde) e não que não haveriam mais sacrifícios.
• O versículo fala que a pessoa destruirá em nome de abominações, deuses estranhos.
• O versículo fala que as destruições permanecerão até o fim do decreto.

Vejamos o que os comentaristas judeus falam a respeito do versículo. Rashi fala o seguinte:
• Que a pessoa que erguerá a aliança por uma semana é Titus, que manteve uma aliança de 7 anos e no meio de uma semana rompeu sua aliança e destruiu o templo.
• Como o lido no versículo as abominações citadas são as idolatrias, onde o império romano e seus sucessores se apoiarão e se manterão nas alturas até que venha o Mashiach.
• O rei Mashiach porá fim às idolatrias.

O Metsudat David acrescenta.
• A idolatria terminará rapidamente, de uma única vez e não aos poucos.
• A idolatria será motivo de vergonha e se esconderá.

Ou seja, não somos nós que traduzimos ou explicamos o Tanach de modo que não se veja Jesus como eles nos acusam, ele simplesmente não está lá.