O “Novo Testamento”

O NT foi considerado como fonte não histórica, devido a várias contradições encontradas e também por existirem mais de 200 evangelhos que se contradizem, todos falsos.

Leiam com atenção!

Em primeiro lugar, é proibido julgar qualquer causa em Shabat, qualquer judeu sabe disso.
Em segundo lugar, é proibido prender qualquer pessoa em Shabat.
Em terceiro lugar, não se pode julgar ninguém nos sete dias de Pêssach.
Em quarto lugar, para julgar sentença de morte são necessários 70 membros do Sanhedrin (Sinédrio), coisa que não existia mais desde os tempos de Pompeu (66 a.e.C), por isso o Sanhedrin não emitiu nenhuma sentença de morte nessa época.

O presidente do Sanhedrin na época não era Caifás, era Gamliel II, neto de Raban Gamliel, bisneto de Rebi Yehudá Ha-Nassí.

Os julgamentos de sentença de morte têm de ser presididos pelo presidente do Sanhedrin.

Quem é Caifás? Fora do novo testamento, este senhor não existe, além disso, o julgamento esbarra nos seguintes mandamentos:
Um juiz não pode cometer injustiças!
Um juiz não pode favorecer o pobre por ser pobre!
Um juiz não pode proteger uma das partes, principalmente se a parte for alguém importante.

LEVÍTICO CAP. 19 15 Não fareis injustiças no juízo; não favorecerás as faces do mendigo (quando ele não tiver razão), nem honrarás as faces do poderoso; com justiça julgarás o teu próximo. Um juiz não pode distorcer um julgamento contra uma pessoa de má reputação.

ÊXODO CAP. 23 6 Não perverterá o julgamento de teu indigente em sua casa.

Por mais que os cristãos queiram argumentar que foi uma ilegalidade por parte de Caifás, o julgamento nesses moldes jamais teria qualquer apoio da comunidade daquela época, esta postagem que fiz, no final e início não tem haver com as deste livro é história real, não algo como deus morreu pois a visão que o ocidente tem é que esse tal de jesus é D’us, isso ele nunca foi e nunca será e nem tampouco o messias esperado.