Quem alterou o Salmo 110?

Uma análise do Salmo usado por Jesus para reivindicar a divindade do Messias.

Levitas cantando Salmos no Templo de Jerusalém

Levitas cantando Salmos no Templo de Jerusalém

De todos os argumentos utilizados por missionários como prova da divindade de Jesus, esse talvez seja o mais antigo.

Esse argumento vem da época da criação do Novo Testamento, e de acordo com o autor de Mateus foi Jesus mesmo que o utilizou. Veja o que está escrito em Mateus:

Jesus lhes perguntou: O que vocês pensam a respeito do Cristo? De quem ele é filho? É filho de Davi, responderam eles. Ele lhes disse: Então, como é que Davi, falando pelo Espírito, o chama ‘Senhor’? Pois ele afirma:‘O Senhor disse ao meu Senhor: Senta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo de teus pés’. Se, pois, Davi o chama ‘Senhor’, como pode ser ele seu filho? Ninguém conseguia responder-lhe uma palavra; e daquele dia em diante, ninguém jamais se atreveu a lhe fazer perguntas.” (Mateus 22:41-46).

O autor do livro de Mateus apresenta Jesus explicando o significado do Salmo 110:1. Para ele, nesse Salmo, o rei David está descrevendo um diálogo entre D’us e o Messias. Nessa passagem então o rei David estaria se referindo ao Messias como “Senhor” (letra S maiúscula). Jesus então dá um xeque-mate nos Judeus concluindo que se David chama o Messias de Senhor, então a origem do Messias está acima da de David. Ou seja, daqui Jesus afirma que o Messias é um ser divino e usa a mesma denominação de D’us, Senhor e Senhor.

Mais uma vez a Igreja fez de seus seguidores reféns de falsas traduções. Sem acesso ao verso original, milhões de Cristãos espalhados pelo mundo, enxergam esse Salmo como evidência clara da divindade de Jesus. Essa interpretação agradou tanto aos Cristãos que decidiram repeti-la em diversos lugares no Novo Testamento (Mt. 22:41-46; Mc. 12:36; At. 2:34-35; Hb. 1:13). Isso fez com que o Salmo 110 se tornasse fundamental na doutrina Cristã.

Uma simples análise do verso derruba essa interpretação. Ao observar o verso em Hebraico vemos claramente que as palavras traduzidas como “Senhor – Senhor” na verdade são duas palavras diferentes.

לְדָוִׂד מִׂזְמוֹר נְאֻם יְה וָה לַ אד נִׂי שֵב לִׂימִׂינִׂי עַד אָשִׂית א יְבֶיךָ הֲד ם לְרַגְלֶיךָ:
Para David, um Salmo. O Eterno disse a meu mestre. Espera à minha direita até que faça de teus inimigos um descanso para seus pés.” (Salmo 110:1).

Destaquei as duas palavras em vermelho para facilitar. A primeira delas é o nome de D’us (יְהוָֹה ) normalmente traduzido nas versões Judaicas em português como ‘Eterno’ ou ‘Senhor’, sempre com a primeira letra maiúscula. A segunda (אדנִֹי ), pronunciada ‘adoni’ significa ‘meu senhor’ ou ‘meu mestre’, usado como forma respeitosa a outro ser humano, e portanto sempre com a primeira letra minúscula. A palavra ‘adoni’, nunca é usada, em toda a Bíblia, para se referir a D’us, sempre a outros homens. Veja alguns exemplos onde a própria tradução cristã traz a palavra ‘adoni’ se referindo a outro homem.

Em relação a Abraão:

Ouve-nos, meu senhor (אדנִֹי /adoni); príncipe poderoso és no meio de nós.“(Gênesis 23:6).

Ao se levantarem na manhã seguinte, ele disse: Deixem-me voltar ao meu senhor (אדנִֹי – adoni)“. (Gênesis 24:54).

Em relação a Esaú:

Vocês dirão o seguinte ao meu senhor (אדנִֹי – adoni) Esaú.” (Gênesis 32:4).

Confira esses versos em sua própria Bíblia e verá, que mesmo nas versões cristãs, a palavra senhor está com a letra inicial minúscula. Isso deixa claro que o ‘senhor’ desses versos não é divino, e sim outro humano, no caso Abraão e Esaú, entre outros. Com exceção ao Salmo 110, pois a Igreja queria usá-lo como argumento cristológico. Mas como ficou claro pela observação do verso em hebraico, essa tradução foi forjada pela Igreja, e provavelmente nunca dita por Jesus. Afinal de contas, se ele citou o verso em Hebraico, essa interpretação não faria o menor sentido para as pessoas a sua volta.

Veja como é a tradução correta do verso e sua interpretação:

Para David, um Salmo. O Eterno disse a meu mestre. Espera à minha direita até que faça de teus inimigos um descanso para seus pés.” (Salmo 110:1).

Uma das principais interpretações desse Salmo nos conta que ele se trata do rei David. Sabemos que o maior desejo de David foi o de construir um Templo para D’us em Jerusalém. Mas por David ser um homem de guerra, D’us realizou seu desejo através de seu filho Salomão (II Samuel 7). Apesar disso, David fez questão de participar de alguma forma da construção do Templo, por isso preparou o que pode e deixou para seu filho. Como sabemos David era músico e grande compositor e o livro dos Salmos foi composto para que os Levitas os cantassem no Templo. David separa então 4.000 Levitas para cantarem esses Salmos no Templo (II Crônicas 23:5).

No Salmo 110, os levitas cantam sobre seu mestre, o rei David, e sobre seu anseio em construir o Templo.
Veja a interpretação correta do Salmo.

Os Levitas dizem sobre David. O Eterno (D’us) disse a meu mestre (rei David). Espera à minha direita até que faça de teus inimigos um descanso para seus pés.

Como vemos na história de David, no momento em que D’us lhe deu descanso de seus inimigos, David desejou construir o Templo.

E sucedeu que, estando o rei Davi em sua casa, e tendo o Eterno lhe dado descanso de todos os seus inimigos em redor, Disse o rei ao profeta Natan: Eis que eu moro em casa de cedro, e a arca de D’us mora dentro de cortinas. E disse Natan ao rei: Vai, e fazer tudo quanto está no teu coração; porque o Eterno é contigo.” (II Samuel 7:1-3).

Ao observamos então o verso original, enxergamos claramente a farsa por trás das traduções cristãs. Infelizmente isso tem sido usado para evangelizar Judeus sem o conhecimento do hebraico. Por isso é importante se aprofundar nos estudos e nas interpretações baseadas nos versos originais. Assim quando confrontados por missionários não serem enganados. Não só isso, como poderão também abrir seus olhos para que enxerguem a verdade.